sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Hatsu-Man #1

Aluno Novo

Cidade de Hamamatsu, Japão. Sete horas da manhã de uma sexta-feira no colégio Asakara. A porta da sala da turma A do primeiro ano é aberta. Um jovem de cabelos e olhos pretos acaba de chegar. Caminhava até uma cadeira no fundo da sala e colocava sua mochila na mesa, sentando-se na cadeira. Um rapaz de cabelos loiros aproximava-se e dava umas tapinhas nas costas do garoto, enquanto falava:

-Atrasado de novo Joe! Ganhei pela décima sexta vez esse mês. Imagine no ano inteiro... – comentava o loiro.

-Daqui pro fim do ano eu te venço! – sorria Joe, enquanto tirava o livro de Geografia da bolsa. – meu despertador quebrou e tive de vir correndo.

-Ah ta. Mas acha que vai tirar nota boa na prova?

-Claro, preciso de no mínimo uns 25.

-Nossa! Eu preciso de no mínimo 70. – comentava o loiro, sentando-se ao lado de Joe e com uma expressão desapontada no rosto.

-Espero que passe de ano, Shinto. – falava Joe, com um sorriso não muito confiante no rosto.

Joe olhava para frente da sala e rapidamente corava. Estava observando uma linda garota de olhos verdes e cabelos vermelhos. A jovem conversava com alguns rapazes de físico atlético e sorria. Shinto pegava Joe pela gola da camisa, para que esteve voltasse à atenção ao amigo.

-É a Ayumi Matsuhiro? Declara logo pra ela!

-Não posso, tenho medo. – respondia Joe, com o rosto mais vermelho.

-Ah cara, você gosta dela desde o jardim de infância!

-Mas ela conhece rapazes cem vezes melhores que eu...

-Melhor nada! Você é um cara muito legal, ganha deles de olhos fechados! – nesse momento Shinto fechava o punho direito e socava o ar com vontade.

-Obrigado, amigo.

Ash Hitomanko, professor de Geografia, entrava na sala. Rapidamente, todos corriam para seus lugares. Shinto dava boa sorte para Joe, que respondia o mesmo. O professor pedia para Ayumi entregar as provas. Ao chegar no fundo, a garota entregou a prova para Joe e sorriu, comentando para o rapaz:

-Boa sorte, Joe.

O rapaz ficara muitíssimo vermelho, sem conseguir responder sequer uma palavra para a garota. Shinto mostrava o dedo médio direito para Joe, que ria um pouco. Nove horas da manhã no colégio. Era hora do almoço e os dois inseparáveis amigos estavam na sala almoçando um do lado do outro. Joe comia a comida com gosto enquanto Shinto dava toda sua comida para ele,pois não gostava da comida da escola.

-Não entendo como somos amigos. – comentava Joe. – temos gostos diferentes...

-Espere. – respondia Shinto, colocando econdido o natô(feijão de soja) dentro do recipiente que ele levava pra escola,cujo recipiente tinha arroz. – esqueceu que gostamos dos mesmos quadrinhos e jogos de videogame? Que moro em sua casa todos os dias, até chegar as sete da noite?

-Calma. Vamos esquecer, certo? – interrompia Joe, colocando as mãos nos ombros do amigo.

Todos os dias eram sempre as mesmas coisas. Na semana, os rapazes chegavam do colégio e ficavam na casa de Joe até sete da noite. Estudavam, jogavam e se divertiam. Quando chegava o horário, a mãe de Shinto aparecia para buscá-lo, depois de chegar do trabalho. O pai de Shinto morreu em um assalto. Já o pai de Joe, trabalha em uma indústria de alta tecnologia em Yokohama.

Chegando a última aula do dia, que era de Física. O professor Goroshi Takayama entrava na sala, acompanhado de um jovem de mesma idade dos alunos. O rapaz tinha cabelos pretos, olhos castanhos e pele morena. Parecia ser estrangeiro, das terras do continente americano. O professor pedia silêncio e depois tomava a palavra:

-Quero apresentar o mais novo colega de classe desta sala: Paulo Yamada. Ele veio do Brasil e passará algum tempo conosco. Quer falar algo, Paulo?

-Falar o que, oras? – reclamava-se Paulo.

Os alunos davam altas gargalhadas. O professor ficava com raiva e mandava Paulo sentar-se atrás de Joe. Shinto dava um sorriso e cochichava para Joe.

-Esse cara parece ser dos meus! Vou falar com ele. Deve ser difícil chegar num país estrangeiro. Copia o que o professor a escrevendo na lousa, que depois eu pego de ti. – depois, Shinto virava-se para Paulo e a conversa rolava. – E ai, você é brasileiro mesmo? Sabe jogar futebol?

- Sou sim. Não jogo muito não, prefiro ler quadrinhos e jogar videogame.

-Que legal então nós seremos bons amigos

-Sou Shinto Amazaki e este é Joe Denkibaka.

Assim nasce uma nova amizade, que logo será fundamental para a brusca mudança de vida do jovem estudante Joe Denkibaka.

1 comentário

laurinha

muito interessante gostei
parabens

Postar um comentário

Leia as regras:

Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Não escreva comentários com o Caps ativado.

Obs: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.

  ©Projeto Kraft - Todos os direitos reservados.

Dicas Blogger | Wellington Holanda | Topo